quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

QUINTA DE POESIA








MASCATE


Saio de casa e me ponho à rua
Nesta tarde de Inverno estadunidense
Manta chapéu casaco quente
Caminho ao mercado para exercitar
As pernas os braços o corpo os sensos
Que se atrofiam na casa de tanto calor
Dobro a esquina enfrento a avenida
E ouço não de tão longe talvez um ou dois
Stone's throws away como aqui diriam
Alguém num pregão  inusitado
Vendendo de dentro de um saco de lona
Atirado às costas mercadoria
Que ele soava com uma voz forte
Poemas versos soltos versos rimados
Haikus sonetos versos de amor versos de dor
Esses mais caros que os versos brancos
Quem quer comprar?
 Quem quer comprar,seu doutor
Versos brancos os faço tantos
Que vendo dois por quatro mil reis
E não dou troco porque baratos já são demais
Quem quer comprar quem quer comprar...



Paulo Corrêa Meyer
Wayne,11/12/2016.



Nenhum comentário: