sexta-feira, 26 de agosto de 2016

SEXTA-FEIRA AZUL




Uma casa cheia de detalhes azuis em Trancoso, Bahia, é o refúgio para Anderson Cooper, o âncora da CNN. Ela é mostrada na edição de Agôsto da Architectural Digest. Ele se apaixonou pelo lugar em 2013 e logo pensou em construir uma casa ali para fugir da vida movimentada que tem em New York. Comprou um dos raros terrenos disponíveis no "Quadrado", cheio de pés de jaca, manga, cacau, açaí e bananeiras e construiu sua casa dividida em quatro módulos. O primeiro, em estilo colonial, abriga a sala de estar e  de jantar, a cozinha e uma varanda para refeições ao ar livre. Os dois prédios centrais são bangalôs para os hospedes, um em tijolos e o outro de pau a pique. A última estrutura, junto da piscina, é uma "casa de árvore" de dois andares que tem a suíte principal no segundo andar e um living aberto e um bar na parte térrea.


A sala de estar com diversos tons de azul.
Mesa e cadeira em estilo colonial e pinturas mexicanas na parede.
A sala de jantar com mesa e paredes azuis.
Balcões em concreto com portas em madeira azul patinada .
Varanda
O dono da casa de paredes azuis.
O prédio tipo casa de árvore.
A suíte principal.
Móvel antigo adaptado para lavatório.
Quarto de hóspedes.
Para refeições ao ar livre junto da piscina com luminárias de terracota.
Um recanto da suíte principal.
Bar junto à piscina.
Um tronco oco abriga um chuveiro na área junto à piscina.
Detalhes lindos em azul.



Fotos: Architectural Digest

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

QUINTA DE POESIA







Inventário
                                                                       
Preciso organizar as tuas coisas.
Feito um deus, dar a cada uma o seu destino.
No escritório, os papéis mais sérios, cartas arquivadas,
problemas de família.
Os livros do avô agrônomo, pedacinhos de campo encadernados.
No quarto, a cadeira predileta e o banquinho.
Tuas roupas de inverno, os vestidos de verão,
alegres, estampados, quase fúteis.
Cartões de meu pai  dentro da bíblia.
Uma rosa seca, testemunha ocular do esquecido.
O vidro de perfume ainda fechado é teu. Não posso usá-lo.
No silêncio dessas coisas que nos falam,
escuto Borges:
                                    Durarán más allá de nuestro olvido;
                                    No sabrán nunca que nos hemos ido.


                                    Ana Mariano
                                    Olhos de Cadela
                                    L&PM 2006.








quarta-feira, 24 de agosto de 2016

QUARTA-FEIRA SEM LEI



Hoje não tem nenhuma mesa posta! Mas, sim, fotos de uma peça linda da casa da Vera que sempre está enfeitando os nossos almoços e que na última quarta estava guarnecida de rosas. Linda como nunca!!!




Fotos: minhas

terça-feira, 23 de agosto de 2016

A MODERNIDADE IMPRESSA



Para não perder esta exposição fantástica, que acabou neste último domingo, enfrentei a chuva que caia  no sábado. E valeu a pena me molhar!!! A MODERNIDADE IMPRESSA-ARTISTAS ILUSTRADORES DA LIVRARIA DO GLOBO-PORTO ALEGRE no MUSEU DE ARTE DO RIO GRANDE DO SUL. Com curadoria da jornalista, pesquisadora e professora do Instituto de Artes da UFRGS, Paula Ramos, esta mostra trazia o trabalho de artistas que faziam parte da Seção de Desenho da Editora Globo que foi uma das três maiores casas editoriais do Brasil. Faziam parte do grupo os artistas João Fahrion, Sotero Cosme, Nelson Faedrich, Francis Pelicheck, Edgar Koetz, Gastão Hofstaetter, João Mottini, Clara Pechansky e Vitório Gheno que foram responsáveis por oferecer um novo nível de qualidade no tratamento gráfico em capas e ilustrações de livros e revistas. É impressionante ver a modernidade dos trabalhos e lembrar que não tinha na época a facilidade da manipulação digital que temos hoje. Podia-se ver reproduções das capas da saudosa Revista do Globo e de capas e ilustrações de vários livros. Trabalhos originais também estavam lá, cedidos por colecionadores particulares e museus. Todo o trabalho de pesquisa que foi mostrado nesta exposição  está no livro de sua curadora que está a venda na loja do MARGS. Eu já tenho o meu!!!



 FACHADAS DA LIVRARIA DO GLOBO POR VITORIO GHENO


  CAPAS DA REVISTA DO GLOBO


ILUSTRAÇÕES PARA A "NOITE NA TAVERNA" ( ALVARES DE AZEVEDO)  POR  JOÃO FAHRION, 1940.
(nanquim sobre cartão gessado)


ILUSTRAÇÕES DE NELSON BOEIRA FAEDRICH PARA A LENDA 
"A SALAMANCA DO JARAU" (JOÃO SIMÕES LOPES NETO), 1940.
(nanquim e guache sobre papel)

Obra de Libindo Ferrás  reproduzida na capa da Revista do Globo.
Francis Pelichek: "Velho Chimarreando", 1929.
(óleo sobre tela)
Obra de Pelichek reproduzida na capa da Revista do Globo.
João Fahrion:  "Duas Modelos"1950.
(óleo sobre tela)
João Fahrion: "Nu com Luva", 1955.
(óleo sobre tela)
João Fahrion: "O Vestdo Verde",1949.
(óleo sobre tela)
João Fahrion: "Autoretrato com Cartola", 1942.
(óleo sobre tela)
Vitorio Gheno.
(nanquim e guache sobre papel)
Sotero Cosme: "A Francesa",1933.
(nanquim sobre papel)
Francis Pelichek
O meu livro!


Fotos: minhas