sexta-feira, 28 de outubro de 2016

MoMA E O PRESENTE DA FAMÍLIA CISNEROS



O MoMA, Museu de Arte Moderna de New York recebeu um presente valioso da família venezuelana Cisneros. Da coleção de arte de Gustavo Cisneros e Patricia Phelps de Cisneros foram doados 102 obras de arte latino-americana entre elas pinturas, esculturas e outras peças. Nos últimos 16 anos a mesma família já havia doado outras 40 obras para este museu. São 37 artistas do Brasil, Venezuela, Argentina e Uruguai e, entre eles, nomes como Lygia Clark, Hélio Oiticica, Lygia Pape, Jesus Rafael Soto, Alejandro Otero, Tomás Maldonado, Adriana Varejão, Beatriz Milhazes. A doação das obras foi uma decisão dos Cisneros de promover a arte latino-americana, que eles consideram ser subestimada no mundo, e também vai resultar na criação de um centro de pesquisa sobre o assunto, dentro do MoMA, batizado de "The Patricia Phelps de Cisneros Research Institute for the Study of Art from Latin America". A condição imposta pelo casal,  que tem a maior coleção de arte latino-americana, para se desfazer das peças é que elas sejam emprestadas, com uma certa frequência, para outros museus dos Estados Unidos.


Patricia Phelps de Cisneros e Gustavo Cisneros


ALGUMAS OBRAS

Waldemar Cordeiro: "Visible Idea". Brasil
Geraldo de Barros: "Diagonal Function". Brasil
Willys de Castro "Active Object". Brasil

Tomás Maldonado: "Desenvolvimento de  um triângulo". Argentina
Gego: "Eight Squares". Nascida na Alemanha.
Alfredo Hlito: "Curves and Straight Series"Argentina
Judith Lauand: "Concrete 61". Brasil

Raúl Lozza: "Relevo No.30". Argentina

Juan Melé: Moldura Irregular No. 2". Argentina

Hélio Oiticica: "Pintura 9 ". Brasil

Alejandro Otero "Pampatar Board". Venezuela

Lygia Pape: sem título. Brasil
Carlos Cruz-Diez: Maquete para uma parede externa. Venezuela
Mira Schendel ""Objetos Gráficos". Brasil
Ivan Serpa: sem título. Brasil
Jesús Soto: "Displacement of a Luminous Element". Venezuela
Hélio Oiticica : "Box Bolide". Brasil

Lygia Clark: "Sundial". Brasil
Hélio Oiticica "Neoconcrete Relief". Brasil

Gego: "Drawing without Paper".

Hélio Oiticica : "Capa de Pangolé". Brasil
Amilcar de Castro: sem título. Brasil
Mira  Schendel: sem título. Brasil
Mira Schendel: sem título. Brasil
Lygia Clark: "Composition Staircase". Brasil
Lygia Pape: "Book of Creation". Brasil

Alejandro Otero: "Ortogonal" Venezuela



VÍDEO





Fotos: MoMA, Touch of Class, Glamurama, Colecioncisneros.org



quinta-feira, 27 de outubro de 2016

QUINTA DE POESIA





   BALAS

Eu ouvia o som
Inequivocável dum tiro
E, depois, a confirmação:
Um outro, outro mais e
Uma sirene atrás do tiroteio
Eu ouvia o som
Num quarteirão distante
Uma guerra de quadrilhas,
Um feudo entre famílias:
Eco distante da guerrilha urbana
Mas eu ouvia o som daquelas balas
O som dum número cada vez
Maior de falas nessa Torre de Babel
Que parecia assim remoto...

Mas, agora, ouço das balas o som
Do seu zunido
Não as vejo no ar, bem entendido
Mas há outro som que se incorpora
À esta orquestra sem maestro definido:
O som do ricochete, do estilhaço
E uma súbita sensação de abandono...

Paulo Corrêa Meyer

Wayne, 17/11/2013.
                                           

                        

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

QUARTA-FEIRA SEM LEI



No almocinho da última quarta-feira a Vera usou, como centro de mesa, lindas conhas de porcelana! O motivo marítimo era para acompanhar o maravilhoso peixe com molho de camarão que nós comemos! Os detalhes eram todos em azul! Azul do mar!!!





Fotos: minhas



terça-feira, 25 de outubro de 2016

ARTE SEMPRE




Molly Gambardella é uma artista multimídia americana. Ela se expressa através de várias técnicas que vão de uma simples ilustração até esculturas gigantes. Sua escultura, "Color Blind", uma cabeça humana feita com lápis de cor cortados, ao ser mostrada no Instagram, recebeu 250000 "likes" em menos de uma hora. Ela é jovem e seu trabalho merece ser verificado através de seu site. Vão lá!!!


Molly Gambardella
"Color Blind"



Fotos: Molly Gambardella, Bored Panda, Also That, Mike Franzman.

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

SEXTA-FEIRA AZUL


A designer de interiores Sarah Bartholomew que nasceu e fez seus estudos na Virgínia, mora agora em Nashville com seu marido e quatro filhos. A casa que compraram foi renovada e a decoração é cheia de cor. E... muitos ambientes tem o AZUL como cor principal! A designer é conhecida por seu estilo sofisticado, chic e atemporal. Ela dá atenção aos detalhes e a casa é clara e cheia de vida!


Com papel de parede, em azul e branco, de Pierre Frey, no hall de entrada.
A mistura ousada de "animal print", na passadeira da escada, e todo  o resto em azul e branco.
Console achado em antiquário, laqueado de branco e com tampo de mármore.
Cadeira Luís XVI com capa em azul.
Coleção de corais em peanhas também brancas.
Entrada para sala de jantar que quebra o esquema azul e branco.
O beige e os verdes na sala de jantar com painéis pintados nas paredes.
Colunas em madeira com velas.
Balcão lindo com duas luminárias em porcelana branca.
De novo o azul e branco no living!
Recanto junto à janela.
Detalhes.
Móvel oriental, lindo, com porcelanas azul e branco.
Lindo contraste!
Uma mesa neoclássica no centro do living.
Detalhes na lareira.
"Family room" repete as cores da sala de jantar.
Detalhes nas estantes.
Cadeiras de rattan junto à "bay window".
Junto à cozinha recanto para o café da manhã.
Recanto lindo!  Em azul e branco!
Mesa posta.
Janela da cozinha.
Recanto na lavanderia para cuidar das flores.
Lavabo em vibrante verde!
Quarto do casal junta o verde com o azul.
Lindas combinações!
Perfeito!
Banheiro.
Dormitório que a designer chama de "Out of Africa" é o quarto dos meninos.
Dormitório das meninas.repete o esquema azul e verde.
Banheiro das crianças.



 Fotos: Sarah Bartholomew, Lamen-Nelson, My Design Chic, Zsa-Zsa Bellagio.