quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

QUINTA DE POESIA






Observa a escuridão e o imenso frio
Neste vale que ressoa com tristeza.
B. Brecht
                                                                    

DE BARRO E LAMA

Para muitos barro e lama é a mesma coisa – pois não é.
Do barro o artista cria a obra que fascina,
o artesão molda prato e jarra que nos servem,
o oleiro faz a telha que nos cobre e nos abriga.
Com ele e mais um sopro Deus criou o homem
- resíduo não sobrou e da alma não falou.

Lama é outra coisa. É matéria sem uso, resto do abuso:
é garimpo, floresta derrubada, estrada renunciada.
É sedução envolta no cheque da multinacional ao prefeito,
que cerca deputado, abraça ministro, sempre bem guardada. 
Mas também é morte anunciada a dúzia, por grosa,
que faz cair a Bolsa e edita o discurso da falsa contrição.

Eis por que barro e lama são coisas tão distintas -
aquele é a criação, esta é extinção.
Mais barro e menos lama, pois.

D. O. d’Avila


Imagem: O Sul


2 comentários:

Eliane disse...

OLá Maria :
estava procurando ganchinhos de metal na internet e vim parar neste seu lindo blog.
achei lindo o poema e suas postagens de bom gosto.
um grande abraço .
:o)
https://elianeapkroker.blogspot.com/

MARIA ARACI disse...

Bem vinda Eliane!!!!